Resíduos Sólidos

Questionário apresentado à disciplina de reciclagem e disposição final de resíduos sólidos.

  1. 1. Conceitos de resíduos sólidos:

Todo material sólido ou semi-sólido indesejável e que necessita ser removido, por ter sido considerado inútil para quem o descarta em qualquer recipiente destinado a este ato. Resíduos são separados conforme suas características e cada classe recebem um tratamento  diferenciado.

  1. 2. Classificação dos resíduos sólidos:

São classificados de acordo com os riscos potenciais de contaminação do meio ambiente, quanto à natureza ou origem e quanto à degradabilidade. Podem ser classificados em relação: Origem (Doméstica, Serviço de saúde,  Públicos (ex. podas), Construção Civil, Agroindustriais, Resíduos especiais).

Importância: Organizar o serviço de coleta. Grau de degradabilidade (Facilmente,                  Moderadamente, Dificilmente, Não degradáveis) Periculosidade (Inflamável,  Corrosivo, Reativo, Tóxico, Patogênico), Classe I – Perigoso Classe II – Não perigoso, Classe IIA – Inerte, Classe IIB – Não inerte.

  1. 3. De acordo com a NBR 10004/2004, que características tornam um resíduo perigoso:

São aqueles que, em função de suas características (Inflamável,  Corrosivo, Reativo, Tóxico, Patogênico) apresentam riscos à saúde publica através do aumento da mortalidade ou morbidade, ou ainda provocam efeitos adversos ao meio ambiente quando dispostos de forma inadequada. A periculosidade é uma característica apresentada por um resíduo que em função de suas propriedades físicas, químicas ou infecto contagiosas possam apresentar risco à saúde publica e/ou ao meio ambiente.

  1. 4. Diferenças entre resíduos não perigosos inertes (classe II-B) dos não inertes (classe II-A)

Classe II-A ou não inertes: apresentam características: combustíveis, biodegradáveis ou solubilidade, com possibilidade de acarretar riscos à saúde ou ao meio ambiente, não se enquadrando nas classificações de resíduos classe |

Classe II-B ou Inertes: Não oferecem riscos à saúde e ao meio ambiente, quando amostrados de forma representativa e submetidos a um contato estático ou dinâmico com água destilada e deionizada, a temperatura ambiente (teste da solubilidade) não tiveram nenhum de seus constituintes solubilizados a concentrações superiores ao padrões de potabilidade da água, excetuando-se os padrões de aspecto, cor, turbidez e sabor.

  1. 5. Principais características físicas químicas dos RSU, importância dessas para as diversas etapas do manuseio.

Físicas

Renda per capita.

Composição gravimétrica (percentual de cada componente em relação ao peso da amostra de lixo analisada, como o percentual de matéria orgânica, papel, metal, vidro e plástico).

Peso específico aparente: é o peso do lixo solto em função do volume ocupado livremente sem qualquer compactação (kg/m³). Sua determinação é fundamental para o dimensionamento de equipamentos e instalações.

Teor de umidade: quantidade de água presente no lixo.

Compressibilidade: é o grau de compactação ou redução do volume que uma massa de lixo pode sofrer quando compactada.

Químicas

Poder calorífico: capacidade potencial de um material desprender determinada quantidade de calor quando submetida a queima.

Composição química: consistem na determinação dos teores de cinzas, matéria orgânica, carbono, nitrogênio, potássio, etc.

Relação carbono nitrogênio (C:N): indica o grau de decomposição da matéria orgânica do lixo nos processos de tratamento e disposição final.

Essas características são necessárias para se planejar o sistema de coleta, transporte, tratamento e disposição final.

  1. 6. Principais fatores que influenciam na quantidade e composição dos RSU.

Climáticos: aumento da umidade, teor de folhas, teor de embalagens de bebidas. Datas festivas: aumento do teor de embalagens de bebidas, papel, matéria orgânica, e aumento da geração em locais turísticos.

Demográficos: quando maior a população maior a geração per capita.

Socioeconômicos: Quanto maior o nível cultural e educacional maior o índice de matérias recicláveis, quando maior o poder aquisitivo maior o consumo perto do recebimento do salário, aumento da geração no final de semana, introdução de materiais cada vez mais leves, reduzindo o valor do peso especifico aparente dos resíduos.

  1. 7. Descrever a técnica de amostragem (quarteamento).

Homogeniza-se uma amostra inicial, após divide em quatro partes escolhendo uma das partes homogeniza-se e repete-se o processo até chegar à quantidade de amostra desejada.

  1. 8. Conceito de plano de gerenciamento integrado de resíduos sólidos.

Todas as ações (técnicas, financeiras e etc.) para a separação, acondicionamento, coleta, transporte e disposição final.

  1. 9. Etapas de elaboração do PGIRS.

Diagnostico da situação atual: Caracterização do município, caracterização dos resíduos, estimativas de quantidade de lixo gerado, composição física percentual dos diversos tipos de lixo, aspectos legais, estrutura administrativa e operacional, aspectos sociais, remuneração e custeio, investimentos, controle de custos, educação ambiental e propostas existentes.

Proposições e forma de execução do serviço.

10. Maneiras de acondicionar os resíduos sólidos. Vantagens e desvantagens dos diversos recipientes.

Tipo Vantagens Desvantagens
Recipientes metálicos ou plásticos Maior resistência e menor custo ao longo do tempo Alto nível de ruído na sua manipulação, necessidade de recolocá-lo no local de origem, desgaste e possibilidade de estragos
Recipientes feitos com pneu Maior resistência em virtude de amassar/ quebrar, menor custo na aquisição, não sofre corrosão, evita ruído, matéria prima disponível de baixo custo Necessita lavagem constante.
Saco plástico Facilidade de coleta, higiene, baixo peso, não sofre corrosão, evita ruído Custo ao longo do tempo mais elevado, possibilidade de problemas em aterros, poluição atmosférica e visual
Contêineres estacionários Maior resistência, acondicionamento de grandes volumes, fácil estacionamento na fonte coletora Custo elevado, atrapalha o transito

11. Aspectos gerais de coleta e transporte de RSU

Coleta domiciliar, feiras livres, praias, calçadas e estabelecimentos públicos, coleta de resíduos da saúde, coleta especial, coleta seletiva.

Transporte: Carroça, caminhão com caçamba tipo basculante , caminhão com sistema de compactação e carreta rebocada por trator.

12. Entendimento do que significam os 3R´s e exemplos de aplicação prática:

Reduzir: Uma das formas é tentar reduzir a quantidade de rsu gerada é combatendo o desperdício de produtos e alimentos consumidos.

Reutilizar:Usar embalagens retornáveis e reutilizar embalagens descartáveis para outros fins.

Reciclar: Reciclagem de papel, plástico.

13. Conceito de ciclo de vida dos produtos

Ciclo de vida de um produto ou serviço compatibiliza todas as etapas envolvidas: desde sua concepção mercadológica, planejamento, extração e uso de matérias-primas, gasto de energia, transformação industrial, transporte, consumo até seu destino final – disposição em aterro sanitário, reciclagem, compostagem ou incineração. Desta forma, o acompanhamento da vida de um produto é feito de seu “berço ao túmulo”.

14. Formas operacionais da coleta seletiva:

De casa em casa utilizando carrinhos tipo plataforma ou utilizando caminhão, postos de entrega voluntária.

15. Conceito de compostagem

Processo biológico aeróbico controlado de transformação de resíduos orgânicos em resíduos estabilizados com propriedades e características diferentes do material que lhe deu origem.

16. Etapas da compostagem

Fase 1: elevação da temperatura até o limite preconizado como ótimo na compostagem, atingida a temperatura entre 55ºC a 60ºC introduz-se um fator externo de controle, o revolvimento com ou sem umidificação, ou aeração mecânica realizada de forma intermitente, conduzindo-se então a bioestabilização na faixa de aquecimento adequada.

Fase 2: degradação ativa do material orgânico, no método convencional (windrow) pode demorar entre 60 a 90 dias; quando as leiras são operadas na forma estáticas aeradas o período é de 30 dias.

Fase 3: inicia-se o resfriamento do material em condições normais leva 3 a 5 dias.

Fase 4 :maturação ou cura do material compostado com a formação de ácidos humicos leva de 30 a 60 dias.

17. Fatores de interferem na compostagem:

Bactérias: decompor a matéria orgânica, aumentar disponibilidade de nutrientes, agregar partículas no solo e fixar nitrogênio.

Fungos: decompor de resíduos, formação do humos e fixar nitrogênio.

Umidade:Superiores a 60% levam a anaerobiose e inferiores a 40% reduzem atividade biológica.

Oxigenação: a compostagem deve ser realizada em ambiente aeróbico pois é mais rápida e não produz mau-cheio nem proliferação de moscas.

Temperatura: na faixa ideal eliminam ervas daninhas e microorganismos patogênicos, acima desta eliminam microorganismos responsáveis pela bioestabilização e transformação do material bruto em húmus.

Relação carbono-nitrogenio: Deve-se manter a relação 30:1

pH: Independente do uso de corretivos a compostagem conduz a formação de matéria orgânica com reação alcalina.

18. Características do processo Windrow

É um processo mais adequado a comunidades de pequeno e médio porte, por exigirem menos investimentos.  O material não é previamente separado, é o material da coleta comum.As leiras são de forma em cunha ou tronco piramidada e dão oportunidade de em casa revolvimento da reposição da umidade adequada, o controle da temperatura é feito através de revolvimento e reposição da umidade e o tempo da compostagem é de 60 a 90 dias.

19. Conceito e características da vermicompostagem

É um tipo de compostagem na qual se utilizam as minhocas para digerir a m.o. provocando sua degradação, melhorando o arejamento e a drenagem do material em fase de maturação. Processo de dois estágios, primeiro a m.o. é compostada de acordo com os padrões normais, após a estabilização da temperatura é transferida para leitos rasos para não se aquecer demasiadamente e não se compactar é nessa fase que se faz a inoculação das minhocas e 60 a 90 dias depois se tem o composto pronto, esse processo aumenta a disponibilização de macro e micronutrientes e forma um húmus mais estável.

20. Critérios para inoculação das minhocas utilizadas na vermicompostagem

Umidade: na faixa de 70 a 75%

Oxigenação: ambiente aeróbico

Temperatura: entre 20 a 28ºC

Carbono/nitrogênio: aproximadamente 30:1

21. Características da disposição do lixo a céu aberto:

É simplesmente descarregado sobre o solo, sem medidas de proteção ao meio ambiente ou a saúde publica.

22. Conceito de aterro controlado

Há o recobrimento do resíduo com argila

23. Conceito de aterro sanitário

É uma forma de disposição final proporcionando o confinamento seguro, com recobrimento diário do material com argila, impermeabilização do solo, drenagem do gás e chorume, é um local protegido por cercas e guaritas e ocorre um tratamento do chorume.

24. Partes constituintes de um aterro sanitário

Guarita de entrada, solo impermeabilizado, drenagem superficial, do chorume e do gás.

25. Conceito de chorume. Descrever os mecanismos de formação:

É o líquido produzido pela massa orgânica do lixo durante o processo de degradação biológica.

26. Quais as principais estruturas de controle de um aterro sanitário.

Cercas, portaria, balança, galpões para abrigo dos veículos, iluminação.

27. Critérios de escolha de área para implantação de um aterro sanitário

O local escolhido deve reunir algumas características como:

Minimizar a possibilidade de existência de impactos ambientais negativos, minimizar custos envolvidos, minimizar a complexibilidade técnica para viabilização, maximizar a aceitação publica ao encontro dos interesses da comunidade. São avaliados também critérios: ambientais, uso e ocupação do solo e operacionais.

28. Conceito e característica da incineração dos resíduos, principais entraves da incineração:

Processo de oxidação a alta temperatura com queima dos gases, devendo ocorrer em instalações bem projetadas e corretamente operadas, onde há transformação de materiais a destruição dos microorganismos, dos resíduos soldos, visando à redução de volume e peso, as escorias ou cinzas geradas são inertes devendo receber cuidados quanto ao acondicionamento, armazenamento, identificação e transporte, a geração de dioxinas e furandos causam danos ao meio ambiente e ao homem.

29. Descrever as principais características do método de trincheira

Próprio para pequenas populações, normalmente o resíduo não é compactado e há o recobrimento do material com o solo utilizado da escavação.

30. Descrever as principais características do método da escavação progressiva

É utilizado em áreas secas e de encosta, aproveitando o material escavado para a cobertura do lixo. Deposita-se certo volume de lixo em seguida este é compactado e depois coberto.

31. Descrever as principais características do método da área

É utilizada quando a topografia local permite o confinamento sem alteração da configuração natural, os resíduos são descarregados e compactado e em seguida recobertos. Esse procedimento caiu em desuso pois requer cuidados especiais.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: